Resenha do Livro ” Champagne Supernovas”, de Maureen Callahan « Claudia Dantas Mua
Resenha do Livro ” Champagne Supernovas”, de Maureen Callahan
16 de Fevereiro de 2016

Olá meninas! Como vão vocês?

Apesar de ter estado de férias e descansando, senti muita falta de poder falar com vocês. Queria, principalmente,  escrever e contar todas as últimas novidades dos meus cursos, passeios, vídeos, resenhas e, tudo que se refere ao mundo feminino.

Bem, como vocês devem ter visto nas minhas redes sociais, aproveitei as férias com meu marido. Viajamos aos Estados Unidos. Temos amigos e parentes por lá. Sendo assim, sempre que é possível, damos um jeitinho para uma escapada.(rsrsr)

Aguardem, minhas queridas, pois mais para a frente, farei os “posts” sobre as férias e, mostrarei as cidades nas quais ficamos: Las Vegas e  Nova Iorque, embora Nova Iorque, vocês já venham conhecendo comigo, através dos “posts” anteriores, uma vez que contei todos os detalhes sobre as oito semanas que estive por lá. Querem dar uma recordada? Minhas últimas semana em Nova Iorque.

Então, quem me conhece, sabe muito bem, que eu não consigo ficar totalmente inerte, parada, desligada de tudo, simplesmente porque estou descansando. Usei e abusei dos livros, os quais estava desejando ler há muito tempo. Sim… Eu tenho uma “Wish Book”, ou seja, uma “Wish List”, uma espécie de lista dos livros desejados e, que vemos nos sites de compras. Chamo assim porque é algo que quero muito e, à medida que posso, vou adquirindo e retirando-os da lista. Vale citar que estão organizados por prioridade de interesse.

Assim sendo, é óbvio que antes de viajar, passei a mão em “dois livros”. Um, eu leria, com certeza e o outro, seria uma reserva. Não sabemos se teremos tempo livre, além do esperado.

Um deles que recomendo é  “Champagne Supernovas”, escrito por Maureen Callahan. É editora e escritora especializada em cultura pop e moda. Trabalhou para o “New York Post” e já escreveu para “New York Magazine”, “Vanity Fair” e outras mídias.

 

claudia-dantas-makeup-artist-champagne-supernovas 01

 

O livro foi lançado nos Estados Unidos em setembro de  2014 e chegou aqui, em agosto de 2015. Estava muito curiosa para lê-lo. Estava no topo da minha “wish list”.

 

claudia-dantas-makeup-artist-champagne-supernovas-02

 

O livro aborda a História da moda, na década de 90, narrada a partir de três dos seus maiores ícones: Kate Moss, Marc Jacobs e Alexander McQueen. Todos com personalidade forte e única que redefiniram os significados de conceitos e tendências.

 

claudia-dantas-makeup-artist-champagne-supernovas-05

 

A década de 90 foi muito intensa para a moda, foi a quebra de tabus ditados por muitos anos. Até os anos 80, a moda era das ditadoras “ombreiras” rsrs e, vinham com supermodelos. Assim que elas eram chamadas: Claudia Schiffer, Cindy Crawford, Linda Evangelista, Naomi Campbell e Christy Turlington eram tidas como deusas do Olimpo.

Foi então, que houve a ruptura. Começava a valorização do estilo “street wear” e “grunge”. Nada mais do que a moda de rua apresentada nas passarelas. As maravilhosas modelos não faziam mais contexto para as mudanças que cada vez viam mais forte. O que era considerado “underground” (submundo) e alternativo, surgiam nas principais passarelas do  mundo da moda, como “up” (algo, realmente, para cima).

 

claudia-dantas-makeup-artist-champagne-supernovas-03

 

Tenho um carinho especial para com, os anos 90. Lembro muito bem desta mudança. Era a minha transição do Ensino Médio (Colegial, na época) para a Faculdade, onde me libertava das ombreiras, as quais nunca gostei . Poderia aproveitar os vários estilos de roupas, principalmente porque frequentava uma Faculdade e, a vestimenta era liberada. Eu era muito magra e, não tinha nada a ver com a outra década. Sentia-me bem usando as roupas mais leves, soltas, jogadas. Combinava perfeitamente com o meu estilo.

Outro acontecimento, que marcou esta década, foi a realização de um sonho: Abri o meu Salão de Beleza com minha irmã.

Neste contexto, surgiram as “antimodelos” que tiveram como representante, a modelo inglesa Kate Moss, que tinha o estilo “heroin chic” ( Heroína, droga propriamente), foi marcado pelo surgimento das modelos pálidas, excessivamente magras, com expressão nada saudável e, que representavam uma resistência às modelos curvilíneas e mais “luminosas” como Cindy Crawford.

Kate Moss foi descoberta pela fotografa Corine Day, responsável por vários “looks”. Não só de Kate Moss, mas como de outras  modelos em intimidades grotescas: depois dos desfiles, fumando, transando e drogando-se. Corine Day queria mostrar este submundo, o podre que existia na vida das modelos e celebridades. Tudo isto fica bem claro na narração do livro.

 

claudia-dantas-makeup-artist-champagne-supernovas-04

 

É um mergulho interessante nos anos 90. Uma leitura prazerosa e rápida, não só para quem goste de moda, mas também quem apreciaria uma recordação do período que transformou a visão do mundo. E nada mais gostoso, do que ver esta transformação através dos ícones que reinventaram a moda. Os três são os maiores representantes deste mundo marginal.

Alexander McQueen, foi o último gênio de inventividade, antes da mercantilização da moda. Dos três, ele era considerado o mais “submundo”, devido os seus próprios problemas pessoais. Ele sempre quis ser o provocador. Tinha uma atração pelo sinistro e pelo perigo. Era uma alma perturbada, mas um gênio. Infelizmente, por ser tão excêntrico tirou a própria vida.

Foto reprodução de Alexander McQueen.

scan02.tif

Kate Moss, a representante fiel da década. Hoje encontra-se aposentada, mas por causa dos escândalos, perdeu muito prestigio no mercado. De vez em quando, faz alguns trabalhos.

Foto reprodução da revista Interview.

Interview-Magazine_Kate-Moss_FTAPE.COM_

Marc Jacobs, começou muito cedo a sua carreira de estilista. Mesmo quando foi demitido da marca “Perry Ellis” não se abateu e continuou com o seu ideal de transformação. Ele é o único que está na ativa, até os dias de hoje. É o mais influente estilista, atualmente, responsável pelas marcas “Marc Jacobs” e “Marc by Marc Jacobs”.

Foto reprodução de Marc Jacobs.

Marc Jacobs 1

O livro chega a descrever no final dos anos 90, uma outra mudança que estava surgindo e, como modelo, a escritora cita a nossa brasileira Gisele Bundchen “ …Gisele Bundchen só estava na cena, havia um ano e estava virando uma superestrela, uma deusa bronzeada e atlética reminiscente das amazonas dos anos 1980.”

Gisele  estreou no mundo da moda no desfile de Alexander McQueen, “ The Golden Shower” (Chuva Dourada), na Inglaterra.

Vídeo: desfile de Gisele.

Bem, meninas.

Espero ter despertado em vocês a vontade de ler esta maravilhosa narrativa, contada a partir de três Histórias verídicas do mundo da moda.

Gostei muito de ter iniciado o meu primeiro “post” de 2016 com um livro, principalmente, porque falava de moda, o que tem tudo a ver com beleza, Não é o que gostamos?

Por isto, sugiro esta leitura fácil, gostosa e tão rica em conhecimento humano.

Gostaria muito que, depois, vocês me dessem um “feedback” sobre o livro e, se por acaso você já leram, expressem a sua opinião. É muito importante para mim.

Muito obrigada pela atenção e carinho.

Um feliz 2016 para todos nós!

Mil beijos!

Compartilhar:
Claudia Dantas, maquiadora, canceriana, casada e vive entre Santos e São Paulo. Ama sua cachorrinha, estudar e viajar. Nas horas vagas, adora cozinhar.
Instagram
© Copyright 2016 | claudiadantasmua.com | Login
Site desenvolvido por